• Sandra Carvalho

Esses gibões adoráveis têm o futuro incerto

Restam apenas 135 da espécie no mundo, concentrados na fronteira do Vietnã e da China.


Gibão cao vit
Gibão Cao Vit fêmea e filhote | Foto: Zhao Chao/Fauna and Flora International

É difícil resistir aos gibões cao vit e seus shows de acrobacia nas copas das árvores das pequenas florestas da fronteira entre o Vietnã e a China.


Velozes, com braços longos, eles pulam de galho em galho, mas também são capazes de correr entre os galhos mais grossos, e de andar sobre duas pernas. Defendem seu território cantando.


Essas habilidades são descritas pela organização britânica Fauna and Flora International (FFI), que faz o possível para salvar a espécie.


O cat vit ( Nomascus nasutus, também conhecido por gibão-de-crista-preta-oriental) está confinado em 1.600 hectares de florestas fragmentadas, perigosamente próximo de atividades humanas.


Dados como extintos na virada do século, os gibões cao vit foram redescobertos por cientistas da FFI, que encontraram um pequeno grupo de animais em 2002.


De lá para cá, a situação melhorou um pouco, com a proteção de seu habitat e programas de sobrevivência sustentável para a população local. Foi assim que se chegou aos 135 gibões cao vit atuais. Mas a espécie continua criticamente ameaçada.


Esses gibões vivem em pequenos grupos, normalmente com um único parceiro a vida inteira - são monogâmicos. Os homens têm o pelo preto e as fêmeas, amarelo-alaranjado. Comem frutas, folhas e flores, mas não só isso - também traçam insetos e ovos de passarinho.


Para que tenham mais chances no futuro, a FFI está batalhando pela ampliação de seu habitat de 1.600 para 6.000 hectares de área protegida, mas isso ainda não está garantido.


#Primatas #FFI #Vietnã