• Sandra Carvalho

Este mojito tem rum de 6 dias ou envelhecido em barril por 20 anos?

A manipulação de moléculas num reator dá a impressão que o rum foi envelhecido por anos.


Mojito, reator que envelhece destilados e um barril tradicional | Fotos: Lost Spirits

Se depender dos últimos truques da química de destilados, talvez seja difícil, daqui para frente, saber se você está bebendo um rum envelhecido por anos e anos em barris de carvalho ou um rum zero quilômetro, que só parece envelhecido graças à manipulação de moléculas.


A destilaria Lost Spirits, da Califórnia, desenvolveu uma tecnologia que promete driblar a passagem do tempo, "envelhecendo" destilados como rum e uísque em seis dias, dando à bebida características que ela teria se tivesse envelhecido por 20 anos em barris de madeira.


A tecnologia se baseia no reator químico THEA|One . Quando ele é carregado com blocos de carvalho e destilados, desencadeia reações químicas que acontecem naturalmente no envelhecimento convencional de bebidas.


Segundo a Lost Spirits, a economia de custo de uma destilaria pode chegar a 75% com esse processo. Isso permitiria que uma garrafa de bom rum chegasse aos consumidores por menos de 40 dólares nos Estados Unidos, em vez da faixa atual de 150-1500 dólares das melhores marcas.


Por enquanto, a Lost Spirits usa a tecnologia do reator THEA|One para fazer seu próprio rum e realiza testes em destilarias de outras empresas.


Outros destilados


A destilaria também testa essa tecnologia com uísque, mas neste caso não produz a bebida do zero: envelhece uísque novo importado de Islay, Escócia.


A ideia é vender a tecnologia para muitos fabricantes de bebida em algum momento próximo. Os avanços com rum são uma boa carta de apresentação: um rum maduro tem aproximadamente 500 componentes químicos, que dão à bebida seu sabor, aroma e corpo característicos, e que não se dominam facilmente.


O cérebro por trás da Lost Spirits é Bryan Davis, californiano que já produziu absinto na Espanha e teve curto sucesso comercial enquanto a bebida foi moda. Ele é obcecado pela produção de bebidas desde a adolescência, como mostra uma palestra sua num TEDx.


Para desenvolver a tecnologia do envelhecimento dos destilados, Bryan importou rum da Guiana, envelhecido por 33 anos, para usar como seu controle.


Ele utilizou espectrometria de massa para ter a identidade química precisa das moléculas do produto e cromatografia para comparar os componentes da sua bebida com o rum de controle.


De acordo com a própria Lost Spirits, as análises indicam que o seu Colonial Inspired Rum tem características de envelhecimento entre 15 e 20 anos.