• Sandra Carvalho

Evitar fogo no Cerrado é bom, certo? Pelo jeito, não.

Plantas e animais típicos das savanas não sobrevivem se as florestas tomam conta da região.



Animais e plantas do Cerrado brasileiro estão desaparecendo, porque as savanas estão sendo substituídas por florestas - uma consequência direta da política de evitar o uso do fogo na região.


Segundo cientistas da Universidade Estadual da Carolina do Norte (NCSU) , o Cerrado brasileiro é a savana com a maior biodiversidade do mundo. Atualmente, no entanto, eles dizem, o Cerrado está sendo prejudicado pelo avanço da floresta.


Seu estudo, assinado por pesquisadores americanos e brasileiros, foi publicado ontem no jornal Science Advances.


Plantas e animais do Cerrado estão acostumados com a luz forte e os fogos frequentes das savanas, onde há basicamente grama e algumas árvores - não lidam bem com o ambiente de sombras de uma floresta.


"Muitas dessas espécies de plantas não sobrevivem na floresta", observou William Hoffmann, professor da universidade, num comunicado.


"Mas a supressão do fogo criou raízes no Brasil, então há uma relutância em permitir seu uso, mesmo que seja para promover a saúde da savana."


O estudo da Universidade Estadual da Carolina do Norte abrangeu 30 anos de Cerrado brasileiro.


Segundo a pesquisa, nesse período, a savana, cada vez mais cercada por floresta, perdeu 27% das espécies de plantas e 35% das espécies de animais.


De acordo com Hoffmann, as perdas das plantas e formigas típicas do Cerrado foram ainda maiores. Ele calcula que houve um declínio de dois terços dessas plantas nas áreas que passaram de savana a florestas. No caso das formigas de savana, a queda teria sido de 86%.


#Biomas #Cerrado #Florestas #Fogo #Incêndios #NCSU #Savanas