• Sandra Carvalho

Existem 36 civilizações extraterrestres na Via Láctea?

Podem existir, sim, dizem astrônomos da Universidade de Nottingham.


Via Láctea em toda sua imensidão | Foto: NASA/Caltech

Se as elocubrações de dois astrônomos da universidade inglesa de Nottingham estiverem certas, podemos nos acostumar à possibilidade de termos muitos vizinhos extraterrestres na Via Láctea.


Não que a gente vá ver ETs por perto tão cedo - mesmo que comprovadamente existissem, eles estariam muito longe de nós. Calculando pela média, distantes 17 mil anos-luz.


Tom Westby e Cristopher Conselice, os dois astrônomos de Nottingham que levantaram a possibilidade de vida inteligente fora da Terra, na Via Láctea, fizeram cálculos bem precisos.


Eles afirmam que poderiam existir pelo menos 36 civilizações inteligentes na nossa galáxia. Seu estudo foi publicado em The Astrophysical Journal.


"Ao procurar por vida extraterrestre inteligente - mesmo que não encontremos nada - estamos descobrindo nosso próprio futuro e destino."

Para chegar à estimativa de 36 civilizações, Westby e Conselice supuseram que a vida nos planetas fora do sistema solar evolui evolui mais ou menos do mesmo jeito que na Terra, levando aproximadamente 5 bilhões de anos para chegar a formas inteligentes. Na Terra, o processo é estimado em 4, 5 bilhões de anos.


"A ideia é olhar para evolução, mas numa escala cósmica", observou Conselice, num comunicado da universidade. "Ao procurar por vida extraterrestre inteligente - mesmo que não encontremos nada - estamos descobrindo nosso próprio futuro e destino."


A teoria foi batizada de Limite Copernicano Astrobiológico. Por que até agora não nos deparamos com essas civilizações? A distância média entre elas é de 17 mil anos-luz, o que dificulta a detecção e a comunicação com a nossa tecnologia atual, argumentam os cientistas.


Eles também admitem a possibilidade de não haver outra civilização inteligente ativa fora da Terra. Mas consideram isso um mau sinal para nossa própria sobrevivência a longo prazo.


Veja mais: Nesse planeta, o céu é amarelo e a temperatura é de 1650º


#Astronomia #Espaço #ETs #Terra #UniversidadedeNottingham #ViaLáctea