• Sandra Carvalho

FIRE: tudo para se livrar do trabalho aos 30 ou 40

Enquanto o mundo adia a aposentadoria, os adeptos do FIRE largam tudo bem cedo.


Praia a qualquer hora: opção para quem consegue parar antes dos outros | cc0 Austin Neill/Unsplash

A sigla FIRE nasceu nos anos 90, nos Estados Unidos. Quer dizer independência financeira + aposentadoria precoce. Virou um movimento para dar um grito de liberdade por volta dos 30 anos, no máximo aos 40: tchau emprego!


Os adeptos do FIRE fazem por conta própria sua reserva financeira para bancar a aposentadoria precoce.


Já deu para ver que isso não tem nada a ver com INSS e previdência brasileira, reformada ou não, certo?


Como fazer a reserva financeira? Segundo o FIRE, economizando absurdamente - abrindo mão de luxos, riscando viagens das férias, diminuindo o restaurante e bar com os amigos, às vezes até evitando ter filhos.


A vida tem de ser frugal, simples, comedida em tudo que significa gastar dinheiro.


O FIRE está se popularizando entre jovens de classe média com nível salarial decente - claro que não é possível economizar uma quantia apreciável se você ganha o mínimo. É comum seguidores do FIRE guardarem metade do salário todo o mês, e às vezes até 70%.


"Uma vez que você tenha dinheiro suficiente para viver confortavelmente, ter mais dinheiro não vai trazer mais felicidade", observa Sam Dogen, do blog Financial Samurai, que se aposentou aos 34 anos.


Há adeptos do FIRE com mais condições de dar certo que a média. Entre eles, quem opera no mercado financeiro, brilha na bolsa e faz quantias fabulosas de dinheiro logo cedo na carreira.


Na área de tecnologia, há chances maiores para quem aposta na startup certa, se mata de trabalhar e depois recebe uma grande bolada quando a empresa abre o capital ou é adquirida por outra.


Peraí...


Um desafio do FIRE é, independência financeira alcançada, achar um propósito na vida, já que ter um emprego convencional de novo está fora de questão.


É um problema restrito a quem só pensou em cruzar os braços e aproveitar a vida. Haja praia! Para quem planejou um projeto criativo sem pressão financeira, ou uma atividade filantrópica, ou um programa de estudos, ou qualquer outro objetivo, o problema não existe.


Além de seguidores, o movimento FIRE tem atraído também muitos críticos. Entre os questionamentos, o principal é que os adeptos do FIRE subestimam a quantia que é preciso economizar para se aposentar precocemente.


"A felicidade não é tão cara", contra-ataca o guru mais conhecido do movimento, o canadense Pete Adeney, que mora no Colorado, nos Estados Unidos. Ele é o conhecido Mr. Money Mustache.


Outro reparo ao FIRE é que ele reflete muito as ideias de integrantes que são homens, brancos e vivem no Vale do Silício. O movimento já tem inclusive gurus feministas que expressam outros pontos de vista.


#Aposentadoria #Dinheiro #Felicidade #MercadoFinanceiro #Trabalho