• Sandra Carvalho

Flagrante de um crime dilacerante: rinoceronte mutilado

Os rinocerontes-negros são atacados por causa do comércio internacional de seus chifres.


Rinoceronte sem os chifres: comércio internacional | Foto: Brent Stirton

O fotógrafo sul-africano Brent Stirton, 48 anos, ganhou o grande prêmio do concurso Wildlife Photographer of the Year de 2017 do Museu de História Natural de Londres com a cena perturbadora de um rinocerante-negro morto, com os chifres decepados.


A foto foi tirada na reserva de caça sul-africana de Hluhluwe Imfolozi. Os rinocerontes-negros já foram os mais numerosos de sua espécie, mas se tornaram criticamente ameaçados por causa do comércio internacional de seus chifres.


"Fazer essa cena trágica quase majestosa em seu poder escultural merece o maior prêmio", comentou Roz Kidman, do júri, num comunicado do museu. "Há brutalidade, mas também há grande poder de comoção e dignidade nesse gigante caído."


Para Kidman, a foto é também é simbólica de um dos crimes de meio ambiente mais cruéis e desnecessários, que merece provocar o maior repúdio público.


O prêmio de Jovem Fotógrafo de Vida Selvagem de 2017 foi para o holandês Daniël Nelson, 18 anos, com uma foto de um gorila comendo fruta-pão nas terras baixas da República do Congo.


Gorila saboreando fruta-pão no Congo | Foto: Daniël Nelson

#Fotografia #Museus #PrêmiosdeFotografia #Rinocerontes