• Sandra Carvalho

Gilbert Baker, criador da bandeira LGBT do arco-íris (1951-2017)

A bandeira original tinha oito cores, cada uma delas simbolizando algo.

Baker: próximo a Harvey Milk, pioneiro dos direitos gays em San Francisco   |  Foto: cc Gareth Watkins;

Gilbert Baker, o designer americano que criou a bandeira do arco-íris, símbolo do orgulho LGBT, morreu dormindo no dia 31 de março, em Nova York, aos 65 anos de idade.


Baker, que nasceu na cidadezinha de Chanute, Kansas, estava no Exército, baseado em San Francisco, logo no início do movimento gay, nos anos 70.


Depois de ter deixado a farda, ficou na cidade e começou a criar símbolos tanto para os gays quanto para o movimento contra a guerra do Vietnã.


Baker era próximo de Harvey Milk, ativista pioneiro dos direitos gays em San Francisco, a primeira pessoa abertamente homossexual a ser eleita pelo voto popular nos Estados Unidos. Milk foi assassinado ainda nos anos 70.


Baker credita à mensagem de esperança de Milk sua inspiração para o trabalho. Quando Milk virou "Milk", filme estrelado por Sean Penn, Baker recriou as bandeiras para o diretor Gus Van Sant.


Baker criou a bandeira do arco-íris original em 1978 com oito cores, cada uma delas simbolizando algo (rosa para sexo, vermelho para vida, laranja para cura, amarelo para luz do sol, verde para natureza, turquesa para mágica, azul para paz e violeta para espírito).


Figura muito reconhecida nas paradas gay, Baker era badalado pelos políticos, do independente Michael Bloomberg, prefeito de Nova York por três vezes, ao ex-presidente democrata Barak Obama.


Veja no vídeo de 6:00 minutos, hospedado no YouTube, a dimensão que a bandeira ganhou, da Rússia a Hong Kong, de Atenas a São Paulo. A música é over, mas as imagens são interessantes.