• Sandra Carvalho

Gravata com seda de aranha dá arrepios? Não precisa

Agora dá para fazer seda sintética com açúcar, água, sais e levedura.


Aranhas: sua seda é flexível, leve e forte   |  Foto: cc0 Pixabay

Em vez de produzir seda de aranha em aterrorizadoras fazendas de aracnídeos, a startup Bolt Threads, da Califórnia, desenvolveu uma versão sintética, à prova de aracnófobos.


Pode ser um marco para a ciência dos biomateriais. Há séculos os homens cobiçam a seda das aranhas, por sua flexibilidade, leveza e força. (O Homem-Aranha é um bom poster boy dessas qualidades.)


Na história da moda há um famoso par de meias feitas de centenas de sacos de ovos de aranhas dado como presente a Luís XIV, o Rei Sol.


O que a Bolt Threads fez foi estudar o DNA da seda das aranhas, decifrar as proteínas das suas fibras e fazer tecidos com essas proteínas sintetizadas.


Nada é feito com aranhas reais, mas com açúcar, água, sais e levedura.


As proteínas da seda são criadas pela levedura em forma líquida durante a fermentação, num processo semelhante ao da produção de cerveja, segundo o FAQ da Bolt Threads.


Depois, a proteína líquida passa por wet-spinning para virar fibra, agora de uma maneira semelhante à da produção de acrílico.


Gravata de 314 dólares


O MIT Technology Review fez uma descrição minuciosa da produção da seda sintética de aranhas, inclusive com fotos dos equipamentos usados.


O primeiro produto feito com a seda de aranha sintética é uma gravata nada barata: custa 314 dólares. Só 50 gravatas foram produzidas por enquanto.


Cada gravata exige, em sua produção, 88 quilômetros de filamentos de seda de aranha, de acordo com a Fast Company.


Resta agora o desafio de produzir a seda em grande escala e chegar a um preço palatável para a indústria da moda.


Uma vantagem substancial da seda sintética da aranha, além de suas qualidades intrínsecas, é substituir os tecidos feitos com derivados de petróleo, como poliéster, que são mais agressivos ao meio ambiente.


 Gravatas feita com biomateriais: açúcar, água, sais e levedura   | Foto: Bolt Threads