• Sandra Carvalho

Greta Thunberg vira nome de um novo sapo do Panamá

O Prismantis gretathunbergae vive numa área ameaçada pelo desmatamento.


Sapo panamenho
Uma rã Prismantis greatthunbergae protege ovos prestes a eclodir | Foto: Konrad Mebert et al/ZooKeys

No mundo dos sapos, o gênero Prismantis é imbatível pela quantidade de espécies - tem pelo menos 574 identificadas pelos cientistas. A mais recente descoberta vem da floresta de Cerro Chucantí, nas montanhas Maje do #Panamá, uma região ameaçada por rápido desmatamento.


A nova espécie de sapo foi batizada de Prismantis gretathunbergae, em uma homenagem à ativista sueca Greta Thunberg, por um grupo de cientistas da Universidade Autonôma de Chiriqui (#Unachi), no Panamá, Universidade Palacky, na República Tcheca, e Universidade de Mainz (#JGU), na Alemanha.


A floresta nublada de Cerro Chucantí e as montanhas Maje, que ficam numa área isolada do leste do Canadá, estão sob enorme pressão da agropecuária, que vem derrubando suas árvores para abrir espaço para plantações e pastos de gado.


Para os cientistas que revelaram o novo sapo panamenho, esse risco torna as pesquisas sobre a ecologia local especialmente recomendadas.


Para identificar a nova espécie que levou o nome de #Greta, os pesquisadores compararam seu DNA mitrocondrial (#mtDNA) com o de outros sapos da região, e encontraram diferenças que tornaram a espécie única.


Examinando a morfologia, observaram que também há diferenças na cor do ventre e da virilha dos sapos, na cabeça maior do Prismantis gretathunbergae e na luz contrastante que ele exibe no lábio superior.


A descoberta foi publicada no jornal ZooKeys.


Floresta panamenha
Floresta nublada de Cerro Chucantí: habitat ameaçado da nova espécie | Foto: Konrad Mebert et al/ZooKeys

Veja mais: Um novo microssapinho goiano leva o nome de Cora Coralina