• Sandra Carvalho

Hoje as árvores crescem rápido, mas morrem cedo

O resultado pode ser mais poluição acumulada na atmosfera da Terra no futuro.


Árvores: ciclo de vida acelerado | Foto: cc0 Jeff Klugiewicz/Pixabay

Nos últimos anos as árvores têm crescido mais rapidamente, mas passaram a ter vidas mais curtas. Isso acontece no mundo inteiro, em todo tipo de floresta, da Amazônia brasileira à taiga russa.


O resultado pode comprometer no futuro a captação de dióxido de carbono (CO2) da atmosfera, um serviço inestimável que as árvores prestam ao meio ambiente.


O alerta foi feito por uma equipe internacional de cientistas europeus, americanos e brasileiros. Com a menor longevidade das árvores e a menor absorção de gases de efeito estufa, eles advertiram, reduzir as emissões de carbono se torna ainda mais essencial.


A pesquisa foi publicada na Nature Communications.


"Se as árvores crescem mais rápido, também assimilam o carbono mais rapidamente. O problema é que vão viver menos, e o carbono ficará menos tempo estocado”, afirmou o pesquisador brasileiro Giuliano Locosselli, um dos autores do estudo, à Agência Fapesp.


Por que as árvores estão crescendo mais rapidamente? Ainda não se sabe com exatidão. Entre os motivos possíveis, estão temperaturas mais altas, mais CO2 na atmosfera e uso maior de fertilizantes, que colocam mais nitrogênio no solo.


Os cientistas analisaram registros de anéis de crescimento de 210 mil árvores de 110 espécies. Cada anel representa um ano de vida da árvore.


Se o anel é largo, indica crescimento rápido. Estreito, denota lentidão. Analisando os anéis, é possível estimar o ritmo de desenvolvimento da planta e a sua idade.