• Sandra Carvalho

Homens e cachorros: amizade antiga nas Américas

As primeiras pessoas que se estabeleceram na região levaram seus cães junto com elas.


Os primeiros colonizadores das Américas eram da Ásia e chegaram acompanhados de seus cães. Ilustração: Ettore Mazza/Durham University

Quando os primeiros humanos chegaram às Américas, vindos da Ásia, há menos de 15 mil anos, traziam com eles seus cachorros, devidamente domesticados.


Pelo menos essa é a tese de um time internacional de pesquisadores liderados pela arqueóloga Angeli Perri, da Universidade de Durham, na Inglaterra.


Os cientistas afirmam que os cães foram domesticados muito antes de as primeiras pessoas desembarcarem nas Américas. A domesticação aconteceu na Sibéria, há menos de 23 mil anos, asseguram.


Seu estudo foi publicado no jornal científico PNAS. Usando informações genéticas, arqueológicas e cronológicas, eles dizem que os cães foram domesticados na Sibéria e de lá se espalharam para as Américas e outras regiões do globo.


Segundo o arqueólogo David Meltzer, da Universidade Metododista do Sul (SMU), de Dallas, um dos autores do estudo, os cães fizeram parte do repertório cultural dos primeiros americanos da mesma forma que as ferramentas de pedra que eles carregavam.


"Pelas assinaturas genéticas de cães antigos, sabemos agora que eles deviam estar presentes em algum lugar da Sibéria antes de as pessoas migrarem para as Américas", comentou o geneticista Laurent Franz, da Universidade Ludwig Maximilian de Munique (LMU), na Alemanha, outro autor da pesquisa.


Veja mais: Cães de trenós e humanos: convivívio de 9.500 anos


#Américas #Cachorros #Domesticação #LMU #SMU