• Sandra Carvalho

Humanos estão nas Américas há 15 mil anos, certo? Errado

Achados numa caverna mexicana indicam a presença humana 30 mil anos atrás.


Caverna Chiquihuite: talvez o hotel mais antigo das Américas | Foto: Devlin Gandy

Uma caverna numa região remota do México, controlada por cartéis de traficantes de droga, jogou por terra a suposição de que os primeiros humanos chegaram às Americas 15 mil anos atrás.


Achados na caverna Chiquihuite, no norte mexicano, sugerem que os primeiros humanos no continente americano vêm de muito mais tempo: de 25 mil a 30 mil anos atrás.


Para chegar a essa data, cientistas da Universidade de Cambridge e da Universidade Autônoma de Zacatecas (UAZ) lideraram um time que examinou cerca de 2000 ferramentas de pedra e pequenos fragmentos encontrados no local e analisou o DNA dos sedimentos da caverna.


O projeto da caverna Chiquihuite já tem 10 anos. Foi identificado DNA de um número variado de animais, como ursos negros, roedores, morcegos e ratazanas. DNA humano, não.


Isso indica que os primeiros humanos a chegar por ali não ficaram muito tempo na caverna.


"Achamos que as pessoas passavam uma parte do ano lá, usando o lugar como abrigo de inverno ou verão, ou como uma base para caça durante a migração", observou Eske Willerslev, de Cambridge, um dos autores do estudo. "Esse pode ser o hotel mais antigo das Américas."


A caverna durante a pesquisa: foram encontrados cerca de 2 mil ferramentas de pedra e fragmentos | Foto: Devlin Gandy

Como os próprios pesquisadores dizem, os achados levantam mais perguntas do que respostas sobre esses primeiros habitantes.


"Não sabemos quem eles são, de onde vieram e para onde foram", afirma Ciprin Ardelean, da Universidade de Zacatecas, outro dos autores do estudo. "Eles são um enigma completo."


Os cientistas acham que a área da caverna, de difícil acesso, e a 2750 acima do mar, facilitava a defesa dos humanos por ali. Eles consideram provável a existência de grandes rebanhos de mamíferos no local - e como esses animais não tinham experiência com humanos, podiam ser presas fáceis.


"A caverna Chiquihuite reescreve o que tem sido ensinado convencionalmente em história e arqueologia", notou o geneticista Mikkel Winter Pederson, da Universidade de Copenhague (UCPH), que também participou do estudo. "E mostra que temos de repensar onde procurar por sítios dos primeiros habitantes das Américas."


Por enquanto o DNA mais antigo de humanos nas Américas ainda é de 12.400 anos atrás. O estudo foi publicado no jornal Nature.


Veja mais: Cães de trenó e humanos: convívio de 9.500 anos


#Américas #Arqueologia #DNA #Genética #História #México #População #UAZ #UCPH #UniversidadedeCambridge