• Sandra Carvalho

Ilhas Cocos: como quase 1 milhão de chinelos cobrem praias desertas?

Nesse território australiano remoto, o lixo vem de longe.


Praia da Ilha Sul: o plástico invade uma área quase inabitada | cc 4.0 Jennifer Lavers/Universidade da Tasmânia

As ilhas Cocos (Keeling), no Oceano Índico, são um território remoto e pouquíssimo habitado da Austrália - têm pouco mais de 600 moradores. Ainda assim, suas praias estão cobertas por 977 mil sapatos (a grande maioria chinelos) e 373 mil escovas de dentes.

Cientistas da Universidade da Tasmânia (UTAS), liderados pela ecotoxocologista marítima Jennifer Lavers pesquisaram o lixo das praias das ilhas Cocos e estimaram que ali haja 414 milhões de peças de plástico. O estudo foi publicado no jornal Scientific Reports.

A mesma Jennifer Lavers já tinha descoberto uma monumental quantidade de lixo plástico na remota ilha Henderson, no Pacífico Sul, onde há a maior densidade mundial desse tipo de detrito. Nas ilhas Cocos, a densidade é menor, mas a quantidade de lixo plástico é maior.

"Ilhas como essas são como canários em minas de carvão", comentou a cientista. "É urgente que nos mexamos diante das advertências que elas nos dão."

Já há tanta poluição de plástico que não é mais realista pensar em limpar os oceanos ou recolher todos detritos de todas as praias. A solução mais viável, segundo os cientistas da Universidade da Tasmânia, é reduzir a produção e o consumo de plástico e cuidar da sua destinação.


#Austrália #Ilhas #Lixo #OceanoÍndico #Plástico #Poluição #UTAS