• Sandra Carvalho

Indústria da moda é bem fraca em transparência

Entre as marcas mais secretivas estão Max Mara, Dolce & Gabbana, Shein e Tom Ford.


Sabe quantas marcas de moda podem ser consideradas 100% transparentes? Segundo o Índice de Transparência da Moda de 2021, nenhuma. A que chega mais perto é a italiana OVS, que abre entre 71% e 80% das informações básicas sobre suas operações.


Já as marcas famosas que ficam perto de 0% de transparência são muitas - Fila, Longchamp, DKNY, Dolce & Gabbana, Nine West, Shein, Max Mara, Billabong, Tom Ford, Mexx...


O Índice de Transparência da Moda é elaborado pela organização inglesa Fashion Revolution, com objetivo explícito de tornar a moda mais responsável com a crise do clima e coibir os abusos de trabalhadores, do início da cadeia de suprimentos aos pontos de venda.


O índice avalia as maiores marcas da moda - 250 delas, com faturamento anual acima de 400 milhões de dólares.


O foco são as informações fornecidas pela indústria e pelo varejo de moda sobre seu impacto no meio ambiente e sobre os direitos humanos, conhecidos pontos fracos dessa indústria.


No índice, a OVS surge isolada em primeiro lugar, mas não é só ela que sai bem na foto. Entre 61% e 70% de transparência, ficam empatadas seis marcas: H&M, The North Face, Timberland, C&A, Vans e Gildan.


Ainda com mais abertura que segredos, há o grupo de 51% a 60% de transparência, no qual há marcas conhecidas como #Nike, Gucci, Patagonia, #Adidas, Reebook, Esprit, Speedo, Converse, Van Heusen, Tommy Hilfiger, Calvin Klein e Benetton.

Indice de Transparência da Moda 2021
O índice com o score final | Imagem: Fashion Transparency Index 2021

Veja mais: O que move a usina ultra-fast fashion Shein