• Sandra Carvalho

Lagos do hemisfério norte aquecem 6 vezes mais rápido

Com isso, as coberturas de gelo se formam mais tarde e derretem mais cedo.


Lago Suwa
Lago Suwa, Japão: gelo se forma 26 dias mais tarde | Foto: cc Adai Chang/Flickr

Os lagos do hemisfério norte estão congelando 11 dias mais tarde e derretendo 6,8 dias mais cedo, na média. Invernos bem mais quentes ao longo das últimas décadas estão por trás dessa perda.


As estimativas são de cientistas da universidade canadense de York, que estudaram o comportamento do gelo em 60 lagos espalhados pelo Hemisfério Norte por mais de dois séculos.


Eles calculam que os lagos dessa parte do mundo estão esquentando seis vezes mais rápido desde 1992 do que em qualquer outro período dos últimos 100 anos.


O Lago Superior, o maior dos cinco Grandes Lagos da América do Norte, já perdeu dois meses de cobertura de gelo desde 1857, quando essas medições começaram.


O Lago Suwa, no Japão, agora só congela duas vezes por década e forma gelo 26 dias mais tarde desde 1897.


Na média, os lagos perdem 17 dias de gelo por século, de acordo com os pesquisadores da #UniversidadedeYork. Alguns lagos profundos da Alemanha e da Suíça, que costumavam congelar todos os invernos, deixaram de ter cobertura de gelo.


Os gelos dos lagos são considerados uma sentinela importante das mudanças climáticas. Para deter o aquecimento dos lagos, os pesquisadores avisam que é preciso deter as emissões de gases de efeito estufa.


Com menos emissões, explicam, diminuiria a evaporação da água dos lagos, a elevação da temperatura, a deterioração da qualidade da água e a proliferação das algas tóxicas.


O estudo foi publicado no Journal of Geophysical Research: Biogeosciences.


Veja mais: Os lagos estão esquentando rápido demais