• Sandra Carvalho

Máscara israelense veda olhos, nariz e boca

A ViriMask tem filtro que dura 60 horas e chama a atenção em qualquer lugar.


ViriMask: todos os pontos de entrada do novo coronavírus selados | Foto: ViriMask

Uma startup israelense criou uma máscara sob medida para quem não aguenta mais lockdown mas tampouco quer ser um elo de transmissão de Covid. A ViriMask cobre olhos, nariz e boca, prometendo bloqueio de 99,25% das partículas do ambiente.


O conceito é de "isolamento móvel", como define o cientista Noam Gavriely, da equipe de desenvolvimento da ViriMask. Gavriely. Ele tem experiência prévia com máscaras: ajudou as forças armadas de Israel a desenvolver máscaras contra gás durante a Guerra do Golfo (1990-1991).


A ViriMask tem um filtro de 60 horas de uso, que cobre com folga uma semana inteira de trabalho. Nas bordas tem um elastômetro antialérgico e fitas ajustáveis para fixação na cabeça. É produzida na cidadezinha de Tirat Carmel, perto de Haifa.


Segundo os desenvolvedores, a máscara consegue reter partículas de 0,10 mícron, o que é suficiente para deter os minúsculos SARS-CoV-2, que têm tamanho estimado em 0,12. Um mícron, ou micrometro, é a milésima parte de um milímetro.


Pode-se dizer tudo da ViriMask, menos que é discreta. Para cobrir todos os pontos de entrada do novo coronavírus e selar o rosto, fica parecida com máscaras contra gases tóxicos ou máscaras de mergulho.


"O filtro é muito mais denso do que o da máscara N95 e das máscaras cirúrgicas", garantiu Gavriely ao jornal The Times of Israel. "Não é uma mágica ou um milagre - como muitas outras máscaras, é um incômodo, mas um incômodo importante."


Veja mais: Usar óculos protege do novo coronavírus?