• Sandra Carvalho

Malhou demais, sem descanso? Errou feio. É o que dizem cientistas da USP

Overtraining, em vez de ajudar, só prejudica a saúde.


O overtraining prejudica coração, fígado e sistema nervoso | Foto: cc0 Alexander Redl/Unsplash

Exercícios moderados são ótimos para prevenir e tratar diabetes tipo 2, Parkinson e certas doenças do coração e do pulmão. Isso costuma ser dado como certo entre médicos.


Mas intensificar demais a malhação, sem o período necessário de descanso, caindo no overtraining, é outra coisa.

Cientistas da Escola de Educação Física e Esporte da USP em Ribeirão Preto analisaram as consequências do overtraining crônico. Já se sabia que o overtraining provoca uma queda na performance esportiva, com lesões no tecido musculoesquelético e liberação de citocinas, substâncias pró-inflamatórias.

O que os pesquisadores descobriram que é o overtraining prejudica, além do tecido musculoesquelético, o coração, o fígado e sistema nervoso central.

Eles testaram o fenômeno de overtraining em ratos, com corridas no plano, na subida e na descida. O estudo foi publicado na revista Cytokine.


#AtividadeFísica #Diabetes #DoençasdoCoração #Malhação #Parkinson #USP