• Sandra Carvalho

Marília, interior de SP, parece fértil em fóssil de dinossauro

Em quatro meses, dois fósseis foram descobertos ao longo da estrada SP-333.


Fóssil de dinossauro
Fóssil encontrado em setembro nas imediações da rodovia Rachid Rayes, colado a um bloco de arenito | Foto: Entrevias

Os titanossauros, dinossauros herbívoros gigantes, de cabeça pequena e longos pescoços, povoaram a região de Marília, no interior de São Paulo, mais de 65 milhões de anos atrás?


Fósseis encontrados na região nos últimos quatro meses, nas imediatações da rodovia Rachid Rayes, a SP-333, reforçam essa possibilidade, segundo pesquisadores locais.


No final de setembro, foi encontrado o que aparenta ser um fêmur ou úmero de dinossauro a cinco metros de profundidade em obras da duplicação da rodovia, feitas pela concessionária Entrevias. Perto havia também fragmentos de costelas, possivelmente do mesmo animal.


O fóssil foi retirado intacto e entregue a paleontólogos da empresa A Lasca e do Museu de Paleontologia de Marília, que está fechado ao público para reformas, mas que continua com suas atividades a portas fechadas.


Quatro meses atrás outro fêmur aparente de dinossauro, de 1,5 metro de comprimento, havia sido encontrado na mesma estrada, e encaminhado também para o museu de Marília para ser estudado.


Em 2009, mais de 50 fragmentos tidos como de titanossauro já haviam sido descobertos na rodovia Rachid Rayes. Estão hoje na Universidade de Brasília (UnB), para comparação com outros tipos de dinossauros.


Marília faz parte da Bacia Bauru, que engloba áreas dos estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás. Ao que parece, rochas sedimentares da bacia preservaram muitos fósseis do período Cretáceo, quando viveram os dinossauros.


"Marília, e outras cidades da região, é muito rica nesse tipo de fóssil, os titanossauros", afirmou o paleontólogo William Nava, coordenador do Museu de Paleontologia de Marília.


Veja mais: Identificado dinossauro achado em Minas Gerais