• Sandra Carvalho

Menos de 4% ficam com 38% da renda no Brasil

A renda média das famílias da classe A é 32 vezes maior que a das classes D e E.


Praia exclusiva: concentração de renda é maior do que se pensava   |  Foto: cc0 Ishan Seefromthesky/Unsplash

A desigualdade na distribuição de renda no Brasil é maior do que os números oficiais indicavam.


Usando dados do PNAD, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domícios, do IBGE, pensava-se que apenas 1,9% das famílias brasileiras pertenciam à classe A, e que concentravam 16,3% da renda.


Acrescentando dados da Receita Federal, que captam um pouco melhor o rendimento real, a consultoria Tendência chegou a números bem diferentes. A classe A, concluiu, chega a 3,8% das famílias, e concentra 38 % da renda.


Os dados foram publicados pela revista Veja desta semana, em reportagem de Marcelo Sakate.


De acordo com os novos números da consultoria Tendência, a renda média das famílias da classe A é 32 vezes maior que a da média das famílias das classes D e E, e não "apenas" 18 vezes maior, como os dados do IBGE indicam.


Confira como fica a distribuição de renda com o novo critério neste gráfico.



#Brasil #DesigualdadedeRenda #DistribuiçãodeRenda #IBGE #PNAD