• Sandra Carvalho

Metade dos corais vivos desapareceu de 1950 para cá

Com isso, a vida marinha em torno dos recifes também definhou em quase todo o planeta.


Coral embranquecido
Coral embranquecido na Flórida: decadência revelada pelas cores | Foto: cc0 Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS)

O aquecimento dos oceanos nas últimas décadas custou caro para os recifes de corais espalhados pelo mundo. Metade dos corais vivos desapareceu a partir dos anos 50.


A estimativa é de pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica (#UBC), num novo estudo publicado em One Earth.


Com a decadência dos corais, a biodiversidade à sua volta definhou. Caiu pelo menos 63%, segundo o estudo.


Os peixes ligados aos recifes de corais diminuíram de forma substancial. Hoje a pesca rende 60% menos do que em 1950, considerando-se o esforço feito por cada peixe capturado. A #sobrepesca também tem culpa no cartório nesse caso.


Segundo os cientistas, também caiu pela metade a capacidade dos recifes de corais garantir alimentação e subsistência a comunidades que vivem perto deles, e de assegurar proteção contra tempestades.


Em certos países e territórios da Oceania, o consumo de 50% a 90% de proteína animal depende de peixes. No oeste da África, o percentual é de 50%. No sudeste asiático, 37%.


Conforme o estudo, há 6 milhões de pescadores dependentes de recifes de corais no mundo.


Veja mais: Um plástico nefasto: o de redes de pesca