• Sandra Carvalho

Minas já paga o pato pela mudança de clima

A prova são as chuvas extremas que devastaram muitas cidades mineiras no ano passado.


Raposos devastada pelas chuvas
Raposos, cidadezinha de 15 mil habitantes na região metropolitana de Belo Horizonte: destruição | Foto: Defesa Civil de Minas Gerais

A mudança de clima, provocada pelas ações humanas, aumentou 70% a probabilidade de chuvas avassaladoras em Minas Gerais. Se a temperatura média tivesse ficado entre 1 e 1,1 grau Celsius abaixo, isso não aconteceria.


Essa é a tese de pesquisadores da USP, INPE e #Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), numa parceria com a Universidade de Oxford (#UniversidadedeOxford).


Segundo os cientistas, o resultado dessa mudança climática pode ser visto nas chuvas que devastaram várias cidades mineiras em janeiro de 2020.


As chuvas extremas deixaram 90 mil pessoas provisoriamente desabrigadas e causaram prejuízos econômicos de 1,3 bilhão de reais, considerando bens públicos e privados destruídos, segundo a avaliação feita por eles.


"A mudança de clima já está efetivamente impactando a sociedade na região sudeste do Brasil", os pesquisadores afirmaram num estudo publicado no periódico Climate Resilience and Sustainability, pedindo providências urgentes.


Em janeiro passado, Belo Horizonte teve mais chuvas do que em toda a sua história, 935 milímetros, mais que o triplo do normal. Pelo menos 56 mortes foram associadas às inundações e deslizamentos de terra, segundo a Agência Fapesp.



Efeito de chuvas extremas em Barbacena, MG
O impacto das chuvas em estrada em Barbacena, na região mineira de Campo das Vertentes | Foto: Defesa Civli de Minas Gerais

Veja mais: Floresta de Carajás pode perder morcegos e aves