• Sandra Carvalho

Monóxido de carbono, o gás mais traiçoeiro

Sem cheiro, gosto ou cor, o monóxido de carbono passa despercebido, mas pode matar.


O monóxido de carbono pode matar rapidamente | Foto:cc0 Siyan Ren/Unsplash

O gás monóxido de carbono (CO) é daqueles perigos invisíveis e silenciosos que podem acabar com uma vida em pouquíssimo tempo.


Ele é muito tóxico, mas, por ser inodoro e incolor, normalmente não é notado. As vítimas inalam o gás e podem morrer por asfixia, porque ele impede que o oxigênio chegue aos tecidos dos órgãos do corpo.


Na maior parte dos casos, os acidentes domésticos com o monóxido de carbono acontecem em casas e apartamentos que usam aquecimento a gás.


Os responsáveis pelos acidentes de monóxido de carbono são principalmente os aquecedores de água para banho (87%), os calefatores (8%) e fogões (5%), de acordo com o especialista brasileiro Elson Longo.


Segundo Longo, as pessoas podem suportar uma concentração de 0,02 partes por milhão (ppm) de CO sem problema. Mais que isso, já sentem sonolência e dor de cabeça. Se são expostas a 1.400 ppm de CO por uma hora, morrem.


O monóxido de carbono é produzido pela combustão incompleta do gás natural, carvão ou combustíveis derivados do petróleo, provocada por falta de oxigênio.


Na Argentina, país que usa muito aquecimento a gás, o monóxido de carbono mata cerca de 250 pessoas por ano, e intoxica outras 2 mil. No Brasil, os acidentes acontecem mais no Sul do país, onde o aquecimento a gás é mais popular do que em outras regiões.


A melhor forma de prevenir esses acidentes em casa é manter em ordem as instalações de aquecedores, calefatores e fogões, deixar os ambientes ventilados e colocar detectores de vazamento de gás.


#Acidentes #AcidentesDomésticos #Gases #MonóxidodeCarbono