Mulheres ficam bem atrás em Hollywood, mostra estudo de 7000 personagens

Os homens dominam os diálogos, os roteiros e a direção dos filmes.


Gal Gadot e Patty Jenkins: a exceção que confirma a regra | Foto: Warner Brothers

A cena que você vê na foto aí de cima, da atriz israelense Gal Gadot recebendo instruções da diretora americana Patty Jenkins, nas filmagens de Mulher Maravilha, mostra uma exceção do cinema americano.


Ao contrário do pode parecer , os avanços das mulheres em Hollywood são lentos. Mulheres protagonistas ainda são raras, e diretoras mulheres, mais ainda.


Um estudo da Universidade do Sul da Califórnia (USC) analisou perto de mil roteiros de filmes, com 7000 personagens e 53 mil diálogos. Os resultados, divulgados por um comunicado da universidade, falam por si.


Dos diálogos, 37 mil eram de homens. De mulheres, 15 mil. Dos personagens, 4900 eram homens. Mulheres, pouco mais de 2.000.


Nos roteiros, as coisas pioram. Há sete vezes mais homens roteiristas do que mulheres. Na direção, mais ainda. Entre diretores, há 12 vezes mais homens. Na produção, as mulheres respiram um pouco mais, e há "apenas" três vezes mais homens que mulheres.


A única exceção a esse predomínio masculino se dá em casting - há duas vezes mais mulheres que homens nessa área. Mas aparentemente isso não influencia o gênero dos personagens na hora da escolha do elenco.


Se os redatores dos filmes são mulheres, a diferença é grande: sempre que há mulheres entre os redatores, personagens femininos aumentam 50%.


O estudo foi feito com a ajuda de ferramentas automáticas de análise linguística e de sinais. Será publicado no jornal Proceedings of the Association for Computational Linguistics (ACL) este ano.


#Cinema #Hollywood #Mulheres #Sexismo #USC