• Sandra Carvalho

Não vale barbarizar no café

Para algumas pessoas, a bebida pode aumentar o risco de osteoartrite e obesidade.


Café: consumo de seis ou mais xícaras por dia pode prejudicar a saúde | Foto: cc0 Cyrill Saulnier/Unsplash

A humanidade entorna aproximadamente 3 bilhões de xícaras de café por dia - e tudo bem, na maioria dos casos. Mas pesquisadores australianos advertem: esse hábito pode significar risco maior de osteoartrite, artropatias e obesidade para algumas pessoas.


Cientistas da Universidade do Sul da Austrália (UniSA) usaram dados de 300 mil pessoas de um grande biobanco do Reino Unido (UK Biobank) para estudar o impacto do consumo regular de café com uma abordagem genética (MR-PheWAS).


Eles analisaram as conexões da bebida com 1.117 condições clínicas. "De uma forma tranquilizadora, nossos estudos sugerem que o consumo moderado de café é majoritariamente seguro", notou a professora Elina Hyppönen, especialista em epidemiologia genética, que liderou o estudo.


Numa pesquisa anterior, ela havia definido o consumo de até cinco xícaras de café por dia como o limite máximo do consumo seguro de café. Seis xícaras ou mais. de acordo com Hyppönen, podem aumentar 22% o risco de doenças do coração.


Os dados do UK Biobank mostraram também que o consumo regular de café pode elevar o risco de osteoartrite, artropatia e obesidade - o que vale como advertência para quem tem uma história familiar com essas condições ou se preocupa com elas.


Hyppönen não aconselha nada radical. "A mensagem que nós sempre devemos lembrar é de consumir café com moderação", ela disse. "É a melhor maneira de apreciar o café e também ter boa saúde."


O estudo da UniSA foi publicado no jornal Clinical Nutrition.


Veja mais: Café filtrado é melhor para o coração


#Biobancos #Café #Doenças #DoençasdoCoração #Genética #HábitosSaudáveis #Obesidade #UniSA