top of page
  • Foto do escritorSandra Carvalho

Nômades digitais ganham visto especial em Malta

O visto permite trabalhar na ilha por até um ano, mas exige uma renda apreciável.


Valeta
Valeta, a capital de Malta: paisagens deslumbrantes | Foto: cc0 Luke Tanis/Unsplash

Viver à beira do Mediterrâneo por um tempo é um sonho inatingível para a maioria dos mortais. Para os nômades digitais, no entanto, ficou um pouco mais fácil.


Malta, uma ilha fincada no meio do Mediterrâneo, com clima agradável, cenários de tirar o fólego e monumentos históricos únicos, criou uma permissão especial sob medida para eles.

A ilha fica perto da Sicília e tem cerca de meio milhão de habitantes.


A permissão especial para nômades digitais de #Malta se aplica a qualquer pessoa que trabalha remotamente. Dura um ano, e pode ser renovada. O país aceita tanto pessoas com contratos de trabalho fixos quanto free lancers.


Para conseguir a permissão, é preciso seguro saúde e comprovação de contratação de aluguel ou compra de alguma propriedade no país.


Há um único impedimento importante: a renda exigida. Para nômades digitais que recebem em moeda forte, a comprovação de renda é viável. Para brasileiros que recebem em reais, é uma quantia alta: 2.700 euros por mês, um pouco mais de 17 mil reais. ✔︎


bottom of page