• Sandra Carvalho

Na guerra contra a fome, menos mortes, mas ainda muitas vítimas (795 milhões)

Os piores problemas se concentram na África, onde ficam 10 dos 11 países mais afetados.



O infográfico do jornal alemão Der Spiegel mostra de forma dramática o avanço da luta contra a fome. Entre 1920 e 1970, 539 pessoas a cada 100 mil morreram de fome. Nos anos 2000, 3 a cada 100 mil.


Isso não quer dizer que o problema da fome já está desaparecendo. Hoje 795 milhões de pessoas no mundo ainda passam fome, com uma criança a cada quatro sem poder crescer como deveria.


Os piores problemas se concentram na África, onde ficam 10 dos 11 países mais afetados.

Veja o ranking negativo do Índice Global da Fome em 2016. Ele é publicado por três ONGs (IFPRI, Concern Worldwide e WHH), que perseguem a meta da ONU de chegar a 2030 com fome zero .



O Índice Global da Fome leva em conta quatro indicadores: subnutrição, peso infantil muito abaixo do padrão saudável, atraso no desenvolvimento das crianças e mortalidade infantil.


Segundo a pesquisa, os níveis de fome são sérios ou alarmantes em 50 países. O índice estima a fome em 118 países - os países ricos ficam de fora, e outros 13 não são estudados por falta de dados. Entre eles, Síria, Líbia, Somália e Sudão do Sul.


No ranking, o Brasil está no melhor lugar possível - no grupo dos 16 países empatados com um score de menos 5, o mais baixo de todos. A República Centro-Africana, que mais sofre com a fome, tem um score de 46,1.


#África #Brasil #Chade #Fome #Rankings #RCA #Zâmbia