• Sandra Carvalho

Nasce em Alagoas o primeiro peixe-boi em cativeiro

Flori veio ao mundo com 95 cm e 12 quilos e está aprendendo a respirar.


Peixe-boi, mãe e filha
A mãe, Paty, e a filhota, Flori, em Porto das Pedras | Foto: APA Costa dos Corais

O primeiro nascimento de um peixe-boi marinho em cativeiro registrado no mundo aconteceu em Porto das Pedras, em Alagoas, dia 26 de abril, segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).


O animal (Trichechus manatus) corre o risco de extinção no Brasil. A Lista Vermelha da #IUCN estima a população de peixe-boi marinho no país em 200 indivíduos.


Flori, com 95 cm e 12 quilos, nasceu na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, do #ICMBio, durante a madrugada, sem a observação de ninguém, mas agora está sendo monitorada 24 horas por dia.


“É um animal abaixo do tamanho médio de um filhote de peixe-boi marinho e, por isso, estamos observando com bastante cuidado. A mãe também é de primeira viagem", notou a veterinária Alexandra Costa, do ICMBio. Mãe e filha estão isoladas dos outros animais.


Flori foi batizada em homenagem a Dona Flori, 86 anos, que participa desde a adolescência das Caboclinhas, dança tradicional popular em Alagoas. O nome foi escolhido num concurso do ICMBio no Instagram.


A mãe de Flori é a peixe-boi Paty, resgatada doente em 2014 na praia de Pratagy, no litoral norte de Alagoas. Quando ia ser solta, já recuperada, constatou-se a gravidez.


O pai de Flori é Raimundo, salvo quando estava encalhado numa praia de Porto do Mangue, no Rio Grande do Norte, com cerca de 20 dias de vida. Adulto e saudável, foi solto no rio Tatuamunha, em Porto das Pedras, em novembro do ano passado.


Paty e Raimundo ficaram juntos no recinto de aclimação da APA Costa dos Corais, quando ambos se recuperavam para voltar ao mar. ✔︎


Veja mais: O mundo se curva diante da água-viva brasileira