• Sandra Carvalho

Nasceu na América do Sul? Prognóstico (ainda) complicado

A mortalidade infantil vai de 8 mortes por 1000 (Chile) a 39 por 1000 (Bolívia).


 Crianças até 5 anos: nascer na América do Sul aumenta os riscos de morte   |  Foto: cc0 Pixabay

Em pleno século 21, as diferenças das chances de vida e de morte entre as crianças nascidas na América do Sul e as nascidas nos países mais ricos continuam assombrosamente altas.


Na América do Sul, as mortes de crianças até 5 anos chegam a se aproximar de 40 a cada mil nascidas vivas. O pior caso, da tragédia boliviana: 39 mortes por mil. O melhor caso, do Chile: oito mortes por mil.


O desempenho do Brasil é medíocre: 14 crianças até cinco anos morrem a cada mil. Ficamos atrás da Argentina, do Uruguai e do Chile.


Nos países mais ricos, a variação vai do pico de 7 mortes por mil (único caso, Estados Unidos) a 3 (Japão, Cingapura, Suécia, Noruega, Finlândia).


Confira os dois gráficos, ambos com dados da Unicef.


Nos países em desenvolvimento:



Nos países mais ricos: