• Sandra Carvalho

Nem o Everest escapa mais dos microplásticos

Eles foram achados até bem perto do topo do monte, 8.440 metros acima do nível do mar.


Everest: bastante poliéster, acrílico e nylon encontrado | Foto: cc0 Christopher Burns/ Unsplash

A poluição dos plásticos contaminou o planeta de um jeito em que nem a montanha mais alta do mundo consegue escapar dela. Cientistas encontraram encontraram microplásticos perto do topo do Monte Everest, a 8.440 metros acima do nível do mar, entre o Nepal e o Tibete.


Eles analisaram a neve e os corpos d'água do Everest e encontraram mais microplásticos no acompanhamento base onde os alpinistas passam a maior parte do tempo, mas também perto do pico, onde muito menos gente chega, um lugar tão perigoso que é chamado de Zona da Morte.


Os cientistas encontraram microplásticos em todas as amostras de neve da montanha. "O Monte Everest é um lugar que sempre considerei remoto e imaculado", observou Imogen Napper, da Universidade de Plymouth, na Inglaterra, principal autora da pesquisa.


"Saber que estamos poluindo perto do topo da montanha mais alta é uma revelação", completou. O estudo foi publicado no jornal científico One Earth.


Os pesquisadores coletaram quantidades significativas de microplásticos de poliéster, acrílico, nylon e fibras de polipropileno. São materiais muito usados atualmente em roupas de alpinistas de alto nível e em tendas e cordas das escaladas.


Microplásticos são uma ameaça muito conhecida à saúde dos oceanos e da vida marinha, mas seu alcance é menos conhecido em terra. Nunca tinham sido encontrados numa altitude tão elevada.


"Isso pode parecer excitante, mas significa que os microplásticos já foram descobertos das profundezas do oceano até a montanha mais alta da Terra", notou Imogen Napper. "Com microplásticos tão ubíquos, precisamos proteger e cuidar do nosso planeta."


Veja mais: Roupas sintéticas viraram um problemão na terra e no mar


#Montanhas #Nepal #Tibete #UniversidadedePlymouth