• Sandra Carvalho

Noite mal dormida estraga até boas coisas do dia

É o que mostra um estudo da Universidade da Colúmbia Britânica.


Sono mais curto: impacto nas reações do dia-a-dia | Foto: cc0 Annie Spratt/Unsplash

Normalmente, quando alguém ganha um abraço ou passa algum tempo ao ar livre, numa área verde, junto da natureza, se sente mais feliz. Mas não é o que acontece geralmente com quem dormiu mal naquele dia.


"Quando alguém dorme menos do que costuma fazer, não consegue aproveitar as emoções positivas de eventos positivos" diz a psicóloga Nancy Sin, da Universidade da Colúmbia Britânica (UBC).


Nancy Sin faz parte de uma equipe da UBC que estudou os efeitos de uma noite abreviada de sono sobre as pessoas.


A pesquisa observou que o sono mais curto não só tira a alegria dos eventos positivos, como torna as coisas negativas mais complicadas, com reações muito mais emocionais. O estudo foi publicado no jornal Health Psychology.


Pesquisas anteriores, inclusive da própria Nancy Sin, mostram que a impossibilidade de manter emoções positivas diante de situações estressantes aumenta os riscos de inflamação e até de morte precoce.


Examinando uma amostra de 2.000 pessoas, os pesquisadores notaram relatos de discussões, tensões sociais, estresse em casa e no trabalho de pessoas que tinham dormido menos do que normalmente.


A maioria dos especialistas costuma recomendar pelo menos sete horas de sono por noite, mas pelo menos 1 em cada três adultos não consegue dormir todo esse tempo.


"Sono inadequado aumenta o risco de transtornos mentais, condições de saúde crônicas e morte prematura", diz Nancy Sin. "Nosso estudo mostra que mesmo flutuações menores na duração do sono de uma noite para outra têm consequências na maneira como as pessoas reagem aos eventos de seu dia-a-dia."


#UBC #Inflamações