• Sandra Carvalho

Noite mal dormida turbina raiva e frustração

Fica mais fácil estourar em circunstâncias frustrantes, dizem cientistas americanos.


Raiva: barulho irritante perturbou mais que tinha dormido menos | Foto: cc0 Viktor Talashuk Unsplash

Psicólogos da Universidade Estadual de Iowa, dos Estados Unidos, andam sugerindo uma boa noite de sono para quem está com problemas para lidar com o sentimento de raiva.


Eles fizeram uma pesquisa com 202 estudantes universitários e testes de laboratório com 157 pessoas e concluíram que a privação de sono amplia raiva e frustração. O estudo foi publicado no jornal SLEEP.


Os estudantes universitários fizeram um diário durante um mês sobre as horas dormidas, as coisas estressantes do dia-a-dia e o sentimento de raiva. Os resultados preliminares indicam que eles sentiram mais raiva nos dias em que tinham dormido menos que o normal.


No laboratório, os pesquisadores submeteram um grupo de pessoas a duas noites de apenas 5 horas de sono e deixaram o outro grupo seguir seu horário normal de dormir e acordar. Todos foram expostos a um barulho irritante.


Quem dormiu as horas que quis se adaptou ao barulho e relatou menos raiva. Ao contrário, quem teve direito a apenas 5 horas de sono reportou um nível maior de raiva, um sentimento amplificado.


Para os pesquisadores, isso sugere que perder horas de sono mina a adaptação emocional a uma circunstância frustrante. "Os resultados proveem uma forte evidência causal de que a restrição de sono aumenta raiva e frustração" afirmou Zlatan Krizan, professor de Psicologia da Iowa State e um dos autores do estudo.


Veja mais: Otimistas dormem melhor que os pessimistas