• Sandra Carvalho

O ar de São Paulo melhora quando se usa mais etanol

O uso do etanol sobe e o ar melhora quando os seus preços ficam mais competitivos.


São Paulo
Ar de São Paulo: mais partículas ultrafinas de poluição com gasolina | Foto: cc Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

A qualidade do ar em São Paulo tem muito a ver com os preços nas bombas dos combustíveis. Quando o etanol está com preços atraentes e é mais usado, o ar melhora. Se os motoristas tendem mais para gasolina, o ar piora.


A concentração de partículas ultrafinas de menos de 50 nanometros de diâmetro aumentou um terço no ar da cidade quando os preços do etanol subiram, de acordo pesquisadores das Universidade #Northwestern, de Illinois, Universidade Nacional de Cingapura (#NUS) e da Universidade de São Paulo (USP).


Quando o etanol voltou a ter preços competitivos, e passou a compensar mais para os dois milhões de motoristas de São Paulo, a qualidade do ar voltou a melhorar.

O estudo foi publicado hoje no jornal Nature Communications.


As partículas ultrafinas da poluição do ar são particularmente ruins para a saúde. "Essas partículas, abaixo de um mícron, têm o potencial de penetrar profundamente nos pulmões", comentou Franz Geiger, professor de química da Northwestern de um autores do estudo, num comunicado da universidade.


Os pesquisadores também constataram que a mudança de um combustível para outro não afeta a concentração de partículas maiores no ar. ✔︎


Veja mais: A era do petróleo acabou. Agora só dá big tech