• Sandra Carvalho

O ar de São Paulo melhora quando os motoristas usam mais etanol

O uso do etanol sobe e o ar melhora quando os seus preços ficam mais competitivos.


Ar de São Paulo: mais partículas ultrafinas de poluição com gasolina | Foto: cc Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

A qualidade do ar em São Paulo tem muito a ver com os preços nas bombas dos combustíveis. Quando o etanol está com preços atraentes e é mais usado, o ar melhora. Se os motoristas tendem mais para gasolina, o ar piora.


A concentração de partículas ultrafinas de menos de 50 nanometros de diâmetro aumentou um terço no ar da cidade quando os preços do etanol subiram, de acordo pesquisadores das Universidade Northwestern, de Illinois, Universidade Nacional de Cingapura (NUS) e da Universidade de São Paulo (USP).


Quando o etanol voltou a ter preços competitivos, e passou a compensar mais para os dois milhões de motoristas de São Paulo, a qualidade do ar voltou a melhorar.

O estudo foi publicado hoje no jornal Nature Communications.


As partículas ultrafinas da poluição do ar são particularmente ruins para a saúde. "Essas partículas, abaixo de um mícron, têm o potencial de penetrar profundamente nos pulmões", comentou Franz Geiger, professor de química da Northwestern de um autores do estudo, num comunicado da universidade.


Os pesquisadores também constataram que a mudança de um combustível para outro não afeta a concentração de partículas maiores no ar.


#Cidades #Combustíveis #Etanol #Gasolina #Northwestern #NUS #PoluiçãodoAr #SãoPaulo #USP