• Sandra Carvalho

Como tanto lixo invadiu uma ilha deserta no fim do mundo?

A ilha de Henderson, no Pacífico Sul, tem a maior densidade de lixo em praia do globo.


Ilha de Henderson
Ilha de Henderson: paraíso e inferno no mesmo lugar | Fotos: Unesco e Jennifer Laves

Compare as duas imagens. A primeira é uma foto paradisíaca da ilha Henderson, escondida num lugar remoto do oceano Pacífico Sul. A segunda é uma foto nada idílica da mesma ilha.


Como a ilha Henderson, localizada no fim do mundo, sem um único habitante, um patrimônio mundial da humanidade, segundo a Unesco, pode ficar cheia de lixo?


A resposta: plástico. Há quase 70 anos a humanidade consome produtos de plástico com voracidade cada vez maior. De 1,7 milhão de toneladas de plástico produzidas em 1954 passamos a 311 bilhões em 2014.


Os detritos de plástico se espalham não só nos locais onde os produtos são descartados, mas invadem o meio ambiente marítimo por toda parte.


Cientistas encontraram na ilha Henderson a maior densidade de lixo depositado em praias já registrada no mundo. Ou seja, 38 milhões de itens de detrito, com 17,6 toneladas de peso.


O estudo, feito pelos cientistas Jennifer Laves, da Universidade da Tasmânia (UTAS), na Austrália, e Alexander Bond, do Centro de Ciência de Conservação, em Bedfordshire, na Inglaterra, foi publicado no jornal americano PNAS, da Academia Nacional de Ciência.


Detritos na ilha de Henderson
Detritos da ilha de Henderson: 27% são da América do Sul | Fotos: Jennifer Laves

Uma das razões para a ilha Henderson atrair lixo é ficar no sistema de correntes oceânicas Giro do Pacífico Sul, entre a América do Sul e a Austrália, que traz detritos da América do Sul para suas praias.


Mais de 27% dos itens identificáveis no lixo são sul-americanos.


A ilha é um território britânico. Tem dez plantas e quatro pássaros que só se encontram lá, de acordo com a Unesco.


Laves e Bond calculam que o lixo acumulado em todos os oceanos do mundo chegue atualmente a 5 trilhões de itens. Na maioria, microplástico.


Não é para menos. As 17,6 toneladas de detritos acumuladas na ilha Henderson correspondem, segundo o estudo, ao que o mundo produz hoje de plástico a cada 1,98 segundo.