• Sandra Carvalho

O passo a passo da CoronaVac no Brasil

Mais de 4 mil voluntários brasileiros já tomaram a primeira dose da vacina.


CoronaVac: até agora, sem sobressaltos | Foto: Governo de São Paulo

Os testes brasileiros da vacina contra o novo coronavírus da empresa chinesa Sinovac vão muito bem, obrigado. Mais de 4 mil voluntários já tomaram a CoronaVac no país.


Uma parte dos voluntários recebeu a primeira e inclusive a segunda dose do teste. Até agora, nenhum efeito adverso sério foi notado. Essa é a fase 3, a última, dos ensaios clínicos da vacina.


Em 20 dias, todos os 8870 voluntários já deverão ter passado pelas duas aplicações da CoronaVac.


A avaliação da eficácia da vacina começa na metade de outubro. As análises vão se basear na proteção real dada pela CoronaVac. Os dados das pessoas que foram vacinadas serão comparados com os das pessoas que receberam apenas placebo.


Espera-se que a CoronaVac seja menos eficaz entre idosos do que entre jovens, mas nada catastrófico.


Nos ensaios clínicos nas fases 1 e 2, 98% dos voluntários com mais de 60 anos desenvolveram anticorpos contra o SARS-CoV-2, segundo relato da Sinovac.


Se tudo continuar dando certo, em dezembro o Instituto Butantan, parceiro da Sinovac no Brasil, deverá ter 46 milhões de doses disponíveis para que se inicie a vacinação em massa.


O Instituto Butantan planeja produzir a CoronaVac no Brasil, para que ela possa ser fornecida gratuitamente pelo SUS. Mas isso não depende apenas da boa-vontade do Butantan, mas também da Anvisa e do Ministério da Saúde.


Veja mais: Nove a cada 10 brasileiros querem vacina contra Covid