• Sandra Carvalho

O Saara já foi o lugar mais perigoso da Terra?

É o que sugerem cientistas americanos, marroquinos e europeus.


Região de Kem Kem, no Marrocos, hoje | Foto: cc Nizar Ibrahim et al

Olhando a paisagem desértica do Saara na região de Kem Kem, no Marrocos, fica difícil imaginar que 100 milhões de anos atrás esse era um lugar de vida exuberante e perigosa, com água abundante e dinossauros ferozes, répteis voadores e peixes gigantescos.


Mas é exatamente isso que um estudo de pesquisadores americanos, marroquinos e europeus sugere, a partir do exame das rochas e dos fósseis da região.


A região de Kem Kem é bem conhecida de geólogos e paleontólogos, com seus fósseis espalhados por museus de todo mundo.


A pesquisa é ambiciosa: pretende ser uma janela para a África da era dos dinossauros. Foi publicada no jornal ZooKeys, com foco no período cretáceo superior.


"Pode-se argumentar que esse era o lugar mais perigoso da história do planeta Terra, um lugar onde humanos viajando através do tempo não viveriam muito", observa um dos autores, Nizar Ibrahim, das universidades de Detroit Mercy (UDM) e Portsmouth.


Os fósseis da região indicam que ali viveram alguns dos maiores dinossauros conhecidos, como o carcarodontossauro, de mais de oito metros de comprimento e mandíbulas aterrorizadoras.


Segundo o estudo, os grandes predatores podiam contar com um abastecimento generoso de peixes enormes, como celacantos provavelmente quatro ou cinco vezes maiores que os atuais e até tubarões de água doce.


#Desertos #Dinossauros #Geologia #Marrocos #Paleontologia #Saara #UDM #UniversidadedePortsmouth