• Sandra Carvalho

O tubarão mais rápido dos mares vai escapar da pesca predatória?

A pesca do mako já passou dos limites sustentáveis no Atlântico, indicam as pesquisas.


Tubarão-mako: as tags colocadas nos animais mostraram a extensão do perigo   | Foto: cc0 Wikimedia Commons

Dados coletados por satélite indicam que a pesca do tubarão-mako, o mais rápido de todos e um dos grandes predadores dos oceanos, é dez vezes maior do que a suposta até agora.


Um novo estudo, das universidades Nova Southeastern University (NSU), Flórida, e Rhode Island (URI), indica que a pesca do tubarão-mako, o Isurus oxyrinchus, já passou dos limites sustentáveis e entrou no estágio de sobrepesca no Oceano Atlântico Norte.


O estudo foi publicado no jornal Proceeding of the Royal Society B na semana passada.


O problema dos dados anteriores sobre a pesca do tubarão-mako é que eles não eram suficientemente confiáveis. Dependiam de relatos dos próprios pescadores do que eles capturavam.


Os cientistas tagearam 40 tubarões-mako e os acompanharam por satélite por três anos, à medida em que eles avançavam em águas de 19 países e eram capturados por barcos pesqueiros de cinco bandeiras diferentes.


Constataram que 30% deles foram capturados por barcos pesqueiros, um percentual dez vezes maior que o reportado até então.


Veja o tageamento, perto de Cuba, neste vídeo de 2:15 da NSU hospedado no YouTube. O vídeo tem tanta adrenalina quanto informação científica.



#NSU #OceanoAtlântico #Pesca #Satélites #Tubarões #URI