• Sandra Carvalho

Onde se ganha mais: São Paulo, Cidade do México ou Buenos Aires?

A unidade de inteligência do Economist comparou os rendimentos das três cidades.


São Paulo: renda mais modesta | Foto: cc Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Na Grande São Paulo, 3,2 milhões de pessoas conseguiram receber de mais de 15 mil dólares no ano passado. Recorde entre los hermanos? Nada disso.


Na região metropolitana da Cidade do México, mais de 3,7 milhões de pessoas ganharam mais de 15 mil dólares em 2016.


Pior, para os brasileiros que se mordem de ciúme dos argentinos: na área metropolitana de Buenos Aires, foram 3, 8 milhões.


Os números são da unidade de inteligência do Economist, que usou dados próprios, do Market Explorer e do EIU Canback. Estão no relatório sobre as oportunidades de mercado nas cidades latino-americanas, chamado Measuring the middle.


O relatório projeta quanto as pessoas vão ganhar nessas três áreas metropolitanas, que são os três maiores mercados da América Latina, em 2030.


Nesse ranking do futuro quem fica em primeiro lugar é a Cidade do México, com 9,4 milhões de pessoas, seguido de perto por São Paulo, com 8,0 milhões.


Buenos Aires, que se classificou como o mercado mais rico em 2016, passa a amargar a terceira posição em 2030, com 7,7 milhões de pessoas ganhando mais de 15 mil dólares por ano.


O relatório é bem abrangente e pode ser baixado em PDF gratuitamente.


Seu ponto principal: em 2030, haverá mais de 88 milhões de pessoas ganhando mais de 15 mil dólares por ano em 122 cidades da América Latina, mais do que o dobro do que atualmente.