• Sandra Carvalho

Os 10 países mais fortes digitalmente (e o Brasil, em 46º lugar)

Noruega, Suécia e Suíça saem na frente nesse ranking.

Oslo, na Noruega: país mais evoluído digitalmente   |  Foto: cc0 Thomas Bjornstad/Unsplash

O Índice de Evolução Digital de 2017 chega, como todo índice, a um score que parece simples. Não é. Ele é o resultado da comparação de 100 indicadores da economia de 60 países.


É feito por uma equipe da Escola Fletcher, da Universidade Tufts, de Massachusetts, liderada pelo economista Bhaskar Chakravorti, e financiado pela Mastercard.


O índice divide os 60 países analisados em quatro grupos: "stand out'", "stall out', "break out'" e "watch out'".


Os países "stand out" são os altamente digitalizados que vivem um ótimo momento, liderando em inovação. É o caso de Cingapura, por exemplo, que está entre os 10 primeiros do ranking, e de outros países que não estão entre os 10, como Nova Zelândia e Emirados Árabes Unidos.



Os países "stall out" são os que são avançados digitalmente, mas estão num ritmo mais devagar atualmente. Caso de vários dos 10 mais bem colocados do ranking, como Noruega e Suíça.


Os países "break out" são países que não muito desenvolvidos digitalmente, mas que estão evoluindo num ritmo rápido. Exemplos de break out com potencial para chegar a stand out, segundo o estudo, são China, Malásia e Rússia.


"Watch out" são países de baixa digitalização que atravessam um momento ruim desse ponto de vista. Entre eles, Grécia, África do Sul, Peru.


O Brasil foi colocado pelo índice como um país "break out", mas quase na fronteira dos que são "watch out", próximo do Vietnã, Jordânia, da Bulgária e Itália.


No ranking geral, de pontos, o Brasil ficou em 46º lugar, com um score de 2,24. O primeiro colocado, a Noruega, teve 3,79. Bangladesh, em último, 1,51.


#Brasil #Noruega #Rankings #Tufts