• Sandra Carvalho

Os americanos fazem menos sexo agora. Por quê?

Entre os americanos casados, o declínio foi comum a todos os gêneros, raças e regiões.

Sexo: queda de 64 vezes por ano para 53   |  Foto: cc0 Pixabay

A geração millennium, nascida nos anos 90, faz menos sexo do que qualquer outra nos Estados Unidos.


A geração silenciosa, que nasceu nos anos 30, hoje é tida como recordista em atividade sexual por lá.


Mas não são só os millennials americanos que andam mais desligados na hora de fazer sexo hoje em dia. Em geral, os americanos adultos estão fazendo menos sexo.


Sobretudo os cinquentões, os pais com filhos em idade escolar e os que não olham pornografia.


Em 2002, o americano adulto fazia sexo 64 vezes por ano, em média. Em 2014, a frequência já tinha caído para 53 vezes.


Foi o que mostrou o estudo Declínio na frequência sexual de americanos adultos entre 1989 e 2014, da professora Jean M. Twenge, da Universidade Estadual de San Diego (SDSU).


Entre os americanos casados, que normalmente fazem mais sexo que os solteiros, o declínio foi praticamente universal: comum a todos os gêneros, todas as raças, todas as regiões e todas as escolaridades e situações de trabalho.


Entre os americanos adultos solteiros, o nível de atividade sexual se manteve.

Em tempo: na hora de buscar os culpados, o estudo da professora Jean M. Twenge descartou o suspeito de sempre: muito tempo no trabalho.


O estudo foi por outro caminho, preferindo chamar a atenção para a queda da frequência entre os casados e para as diferenças de comportamento sexual entre gerações, com a frequência menor dos millennials.


Idade foi apontada, de qualquer forma, como um fator importante em sexo. Um americano em seus 20 anos tem cerca de 80 relações sexuais por ano, enquanto um sessentão não passa de 20 vezes.


#Millennials #Psicologia #SDSU #Sexo