• Sandra Carvalho

Os invernos estão mais quentes no Alasca

A alta de temperatura tem consequências devastadoras, entre as quais algas tóxicas.


Alasca: menos neve e mais chuva, erodindo a costa | Foto: cc0 Pixabay

Em fevereiro, a cidade de Homer, no Alasca, teve uma temperatura média de -1,1 graus Celsius. Parece bem frio, certo? Errado.


Nos últimos cinco anos, a temperatura média em fevereiro foi de -3,8. Pegando os últimos 10 anos, a média desce ainda mais, a -6,1. E recuando de 1932 a 2017, baixa-se a gélidos -7,2.


A alta de temperatura, apontada pela Bloomberg BusinessWeek, está tendo consequências devastadoras.


Em vez de nevar, como antes, agora chove mais, erodindo a costa marítima e diminuindo a água disponível para beber. Mais: ameaça a única estrada que liga a cidade a outros lugares e prejudica o salmão, base da economia da área.


Com a temperatura mais alta, algas tóxicas estão se espalhando, atingindo mexilhões e ostras.


E Homer está longe de ser a cidade mais afetada pelo aquecimento global no Alasca...