• Sandra Carvalho

Oxitocina deixa mães que amamentam mais felizes

Níveis altos do hormônio durante a amamentação jogam para cima o ânimo das mulheres.


Amamentação: impacto dos hormônios Foto: cc0 Valéria Rodriguez Unsplash

A oxitocina, o hormônio do amor, molda tanto o humor das mães que amamentam que elas ficam mais sensíveis a expressões alegres do que estressadas das pessoas ao redor.


É o que diz uma pesquisa das universidades japonesas de Kyoto e Azabu, publicada no jornal Biology Letters.


A oxitocina é importante para mães e bebês desde antes do parto - age nas contrações na hora do nascimento e estimula a produção do leite materno. Quando seus níveis sobem, ela fortalece os laços entre os dois. Isso é sabido há muito tempo.


O que a pesquisa japonesa traz de novo é que os níveis altos de oxitocina modificam também as relações com as outras pessoas à volta, funcionando como um tampão para evitar emoções negativas como estresse e ansiedade.


A sensibilidade para detectar expressões negativas baixa, enquanto a sensibilidade para identificar rostos felizes aumenta.


Os pesquisadores fizeram o teste das expressões faciais antes e depois da amamentação, quando os níveis de oxitocina ficam mais altos.


Registraram níveis bem diferentes de oxitocina entre as mães. E constataram que, quanto mais oxitocina, maior o reconhecimento de rostos felizes.


Os cientistas japoneses acham que a oxitocina pode ajudar a entender melhor o comportamento das mulheres depois de dar à luz, inclusive os problemas de depressão pós-parto, que são bastante comuns.


Veja mais: O lado avesso da oxitocina, o hormônio do amor


#Hormônios #Oxitocina #Mães #KyotoU #Azabu