• Sandra Carvalho

Para onde foi a relevância do Rio de Janeiro?

A cidade perdeu influência para Vitória, Salvador e Belo Horizonte.


Rio de Janeiro
Rio de Janeiro: capixabas, baianos e mineiros agora seguem mais suas próprias capitais | Foto: cc0 /Unsplash

As maiores metrópoles brasileiras já não mandam tanto na economia do país como antes, mas o Rio de Janeiro está perdendo poder de forma mais evidente.


O IBGE registrou a queda da influência carioca de forma precisa na publicação Urbano-Regional 2021, que enxerga o Brasil do ponto de vista de seus fluxos urbanos.


O interior do Espírito Santo, que girava em torno do Rio, agora responde a Vitória, a capital do estado.


O extremo sul da Bahia, que também era um satélite do Rio, agora está sob a influência de Salvador.


E a área de Juiz de Fora, em Minas Gerais, antes voltada para o Rio, atualmente está subordinada a Belo Horizonte, de acordo com o instituto.


Resumo da ópera: a influência dos cariocas se limita agora às fronteiras de seu próprio estado.


A participação da cidade do Rio de Janeiro no PIB brasileiro reflete essa queda - caiu 1,5% na comparação com 17 anos atrás, para 4,8% em 2019, o último dado disponível. Ainda assim, é algo muito respeitável - 354,9 bilhões de reais.


Segundo o IBGE, essa retração se deve ao menor papel do Rio na indústria no país, e ao fato de a cidade atualmente dividir mais a atividade de extração de petróleo com outros municípios do próprio estado do RJ.


Da mesma forma que o Rio de Janeiro, São Paulo também perdeu participação no PIB brasileiro na comparação com 17 anos atrás. Sua queda foi ainda mais pronunciada, de2,3%, para 10,3% do PIB nacional -763,8 bilhões de reais em 2019.


De acordo com o IBGE, a tendência de uma menor concentração da economia nas maiores cidades acontece desde 2002, quando foi iniciado o estudo do PIB dos Municípios. ✔︎


Veja mais: Minhocão: 50 anos de conflito no coração de São Paulo