• Sandra Carvalho

Pegue leve no saquê, na cerveja ou no uísque, para evitar o câncer

No Japão, mesmo o consumo light de álcool está ligado a um risco maior de câncer.


Bares em Tóquio: cada drinque conta ao longo dos anos | Foto: cc0 Tokyo Luv/Unsplash

Pesquisadores da Universidade de Tóquio (Todai) e de Harvard tiraram a limpo a relação entre consumo de álcool e câncer no Japão. Conclusão meio desanimadora para os bons de copo: mesmo o consumo mais leve de álcool está associado a um maior risco da doença.


Eles estudaram o consumo de álcool de 2005 a 2016 entre os japoneses. Examinaram os dados de 33 mil pacientes com câncer e 63 mil pessoas saudáveis de 33 hospitais do Japão.


No estudo, equalizaram o consumo de bebidas alcóolicas com base em unidades de álcool. Uma unidade de álcool, com 23 gramas de etanol, correspondeu a 180 ml de saquê, 500 ml de cerveja, 180 ml de vinho e 60 ml de uísque.


No estudo, o risco mais baixo de câncer correspondeu a consumo zero de álcool. As pessoas que consumiram uma unidade de álcool por dia durante dez anos ou duas doses por cinco anos aumentaram 5% seu risco de câncer.


O risco maior da doença no estudo foi atribuído a câncer associado a álcool em órgãos como cólon e reto, estômago, peito, próstata e esôfago.


No Japão, câncer é a causa de morte mais comum.


O estudo foi publicado no jornal Cancer, da Sociedade Americana de Câncer.


#Álcool #Câncer #Cerveja #Harvard #Japão #Saquê #Vinho #Todai #Uísque