• Sandra Carvalho

Periferia de SP: só 3% dos empregos ficam a até 1 hora

Uma desigualdade acachapante marca o acesso ao trabalho na cidade.


Metrô em São Paulo
Estação de Metrô na região da Paulista: a maioria fica muito longe dessa área de concentração de empregos | Foto: cc Rovena Rosa/Agêcia Brasil

Chegar ao trabalho em menos de 60 minutos por transporte público é coisa para uma minoria na cidade de São Paulo. Nas áreas de menor renda, apenas 3% dos empregos ficam a uma hora de distância ou menos.


A estimativa é de um documento do Centro de Estudos da Metrópole (#CEM), ligado à Fapesp, formulado por Mariana Giannotti, professora da Escola Politécnica da USP, e pela consultora de mobilidade urbana Beatriz Moura dos Santos.


Segundo o documento, somente 16% das famílias têm acesso a pelo menos 50% dos empregos por transporte público a partir de casa em 60 minutos. Grande parte desse grupo é de renda alta (44% tem renda familiar acima de 10 salários mínimos).


As duas especialistas fizeram três sugestões para melhorar o acesso aos empregos de quem mora muito longe das áreas onde eles se concentram: aumentar a descentralização dos postos de trabalho, adensar com mais gente as áreas de concentração de emprego e ampliar o sistema de transporte público da cidade.


Mapa São Paulo
Mapa da cidade de São Paulo: menos renda, menos emprego | Infográfico: CEM

Veja mais: Calçadas de SP: 65 milhões de m2 de desigualdade