• Sandra Carvalho

Pesadelo holandês: meio milhão de martas mortas a gás

O abate foi feito em fazendas de marta para evitar a transmissão do novo coronavírus.


Fazenda de martas holandesa: rotina é de crueldade do princípio ao fim | Foto: Fur Free Alliance

Os Países Baixos abateram mais de 571 mil martas a gás nos últimos dias. Entre os animais mortos, 480 mil filhotes.


Tudo nos conformes: os funcionários das fazendas usaram monóxido de carbono (CO) sob a supervisão da agência holandesa NVWA, que cuida da segurança de alimentos e produtos de consumo.


O abate faz parte dos esforços de contenção da pandemia do novo coronavírus. O SARS-CoV-2 se espalhou por 13 fazendas de marta no país e se suspeita que tenha passado dos animais para pelo menos 2 trabalhadores das fazendas e vários gatos das proximidades.


Se confirmada a transmissão das martas para humanos, serão os primeiros casos identificados de infecção de pessoas por animais. Gatos, por exemplo, contraem e transmitem entre si o coronavírus, mas não passam a doença para humanos.


Infectologistas holandeses afirmaram que as fazendas se tornaram um reservatório do SARS-CoV-2. O primeiro caso foi identificado há pouco menos de dois meses.


A morte dos animais tem sido divulgada amplamente na Holanda, mas não pôde ser fotografada, pelo menos até agora, por determinação do governo.


A produção de peles para a indústria da moda ainda é comum nos Países Baixos - ali subsistem aproximadamente 140 fazendas de marta.


Casacos de vison (mink, em inglês) ainda vendem bem, apesar da grita dos ativistas pelos direitos dos animais. As exportações holandesas das peles são estimadas pela agência Reuters em 90 milhões de euros por ano (511 milhões de reais).


Os animais levam uma vida curta e miserável nas fazendas de marta: vivem em jaulas do nascimento à morte. Um vídeo da organização Animal Rights dá uma ideia do martírio. Confira.



Esse sistema cruel tem prazo para acabar nos Países Baixos: até 2024. A lei foi aprovada com 10 anos de antecedência.


Enquanto ainda são legais, as fazendas holandesas estão em plena atividade. Produziram 4,5 milhões de martas em 2018, segundo a organização Fur Free Alliance.


Os holandeses não estão sozinhos na produção de marta. Essas fazendas se distribuem por 21 países da Europa - Dinamarca, Finlândia, Polônia e Lituânia, por exemplo. Também existem na China, Estados Unidos e Canadá.


No total, a Fur Free Alliance estima que as fazendas produzam 60,5 milhões de martas por ano no mundo, dos quais 35 milhões na Europa.


Fazenda de marta na Lituânia | Foto: Fur Free Alliance

Veja mais: Surdez, o castigo do salmão criado em fazendas de peixe


#AnimaisMaltratados #CrueldadecomAnimais #Europa #Moda #Monóxidodecarbono #PaísesBaixos #Roupas