• Sandra Carvalho

Pesca acidental no Brasil é mais um golpe para raias à beira da extinção

Quase metade das raias que cai nas redes de pesca por acaso é de espécie ameaçada.


Raias ainda não são bem conhecidas | Foto: cc3 Citron/Wikimedia Commons

Os grandes barcos de pesca industrial podem ser os principais responsáveis pelo risco de extinção das raias, mas não estão sozinhos.

No Brasil, pescadores artesanais e pequenas embarcações industriais da região sudeste também têm um papel nisso, embora involuntário.


Eles saem para o mar sem intenção de capturar raias, peixes que o mercado não valoriza tanto. Ainda assim, as raias caem em suas redes, acidentalmente.

Pesquisadores de três universidades (Unifesp, Unisanta e Unesp) fizeram análises genéticas de 228 raias capturadas acidentalmente no sudeste do Brasil de 2012 e 2018.


O resultado não poderia ser mais revelador: 101 estavam na lista das espécies ameaçadas e 131 nem poderiam ter sido capturadas, porque sua pesca é ilegal no país.

As espécies que mais caíram nas redes foram a raia-ticonha (Rhinoptera brasiliensis), a raia-santa (Rioraja agassizii), a raia-amarela (Myliobatis freminvillei) e a raia-borboleta (Gymnura altavela).

O estudo foi publicado no jornal científico Genes.

#EspéciesemExtinção #Oceanos #Peixes #Pesca #Unesp #Unifesp #Unisanta