• Sandra Carvalho

Picada de escorpião pode matar. Mas há como evitar isso

Pesquisadores da USP dizem que a saída é o uso imediato do corticoide dexametasona.


Escorpião-amarelo: o animal peçonhento que mais mata no Brasil | Foto: cc José Roberto Peruca/Flickr

No ano passado, mais de 156 mil pessoas foram envenenadas no Brasil por ferroadas de escorpiões, segundo os dados do Ministério da Saúde. Entre as vítimas, 169 morreram.


A maioria dos acidentes aconteceu com os escorpiões-amarelos (Tityus serrrulatus), o animal peconhento mais letal do país, que se reproduz com muita facilidade nas cidades.


As ferroadas podem levar à morte por provocarem ataque cardíaco e edema pulmonar, atingindo mais fortemente idosos e crianças.


Mas as mortes podem ser evitadas, segundo estudo de cientistas da USP. Os pesquisadores dizem que nos casos graves de envenenamento por escorpiões pode-se bloquear o processo inflamatório com corticoides aplicados imediatamente depois da ferroada.


É o processo inflamatório que pode levar os pulmões a acumularem líquido, formando um edema, e provocar problemas no coração.


Em testes em camundongos, o corticoide dexametasona, aplicado em até meia-hora depois da picada, conseguiu evitar a morte dos animais.


A dexametasona é um remédio barato encontrado em qualquer farmácia, mas tem efeitos colaterais, e deve ser aplicada apenas com indicação médica.


O corticoide não elimina a necessidade do uso do soro antiescorpiônico, que combate outros efeitos do veneno do animal.


O estudo foi publicado no jornal científico Nature Communications.


Veja mais: A teia mortal da aranha-do-fio-ouro


#Inflamações #Remédios #DoençasdoCoração #DoençasdoPulmão