• Sandra Carvalho

Proteja o coração: dispense o sal e coma uma banana

Harvard: risco de doenças cardiovasculares cai com menos sódio e mais potássio.


Alimentos
Alimentos à prova: inimigos e aliados do coração | Fotos: cc0 Zulu Fernando/Unsplash e cc0 Abet Ilacer/Pexels

O sal faz papel de vilão da saúde há muitos anos, mas volta e meia se ensaia uma reabilitação. Um novo estudo da Escola de Medicina de Harvard, tida como a melhor do mundo, acaba de mandar de novo o sal para a lona.


Um menor consumo de sal e um maior consumo de #potássio se ligam a um menor risco de doenças cardiovasculares para a maioria das pessoas, de acordo com o estudo. A pesquisa foi massiva.


Os cientistas combinaram dados de seis estudos que usaram múltiplas amostras de urina de 24 horas de 10 mil adultos saudáveis acompanhados em média por 9 anos. Houve nesse período 571 eventos cardiovasculares.


O #sódio é encontrado naturalmente em alguns alimentos e é o principal componente do sal de cozinha. Ele aparece em grande quantidade em fast food e alimentos ultraprocessados, cada vez mais consumidos.


Conforme aumenta o consumo de sódio, aumenta a pressão arterial e por tabela o risco de doenças cardiovasculares.


Com o potássio acontece o contrário - ele relaxa os vasos sanguíneos e aumenta a eliminação do sódio, diminuindo a pressão arterial. Ele se encontra em frutas como a banana, em verduras, feijão, nozes, laticínios e vegetais com bastante amido, como a abóbora.


Segundo os pesquisadores de #Harvard, o maior risco de doenças cardiovasculares é associado a um consumo diário de 2.000 a 6.000 miligramas de sódio.


A cada 1.000 miligramas de excrecão de sódio o risco sobe 18%, segundo o estudo. Já com o potássio acontece o contrário: a cada 1.000 miligramas de excreção, o risco cai 18%.


O estudo foi publicado no New England Journal of Medicine.