• Sandra Carvalho

Quantos cachorros-quentes dá para comer em 10 minutos?

Veja a resposta da Ciência a essa questão transcendental.


Cachorros-quentes: uma pessoa comum consegue engolir no máximo 10 em 10 minutos | Foto: Wix

Todos os anos, dia 4 de julho, data nacional dos Estados Unidos, uma lanchonente de Coney Island, em Nova York, faz uma competição para ver quem consegue comer mais cachorros-quentes. O torneio da Nathan's é mundialmente famoso.


Um fisiologista da Universidade High Point (HPU), da Carolina do Norte, James Smoliga, resolveu estudar o assunto a sério, e descobrir qual é a capacidade humana máxima de engolir os sanduíches num tempo mínimo, 10 minutos.


Ele analisou dados de 39 anos da Nathan's Famous Coney Island Hot Dog Eating Contest e chegou à seguinte conclusão: comedores de elite poderiam traçar 83 cachorros-quentes em 10 minutos, graças à plasticidade de seu sistema digestivo.


Sabe o que é isso? São 832 gramas de sanduíche por minuto, e um total de 23 mil calorias. É uma performance similar à de ursos pardos e melhor do que a de coiotes, de acordo com o estudo, consideradas as diferentes massas corporais.


Os campeões da Nathan's ainda não conseguiram chegar lá. O recordista atual, Joey Chesnut, mandou ver 75 cachorros-quentes em 10 minutos. Uma pessoa comum, estima Smoliga, consegue engolir "apenas" 10 hotdogs nesse tempo.


"Comedores competitivos treinam especificamente para expandir seu estômago" notou Smoliga numa entrevista à CNN.


A pesquisa foi publicada no jornal Biology Letters.


A lanchonete Nathan's, em Nova York: competição anual | Foto: cc Ajai Suresh/Wikimedia Commons

De acordo com o estudo, os comedores de elite estão ficando cada vez mais eficientes - hoje sua capacidade é 5 vezes maior que a de seus predecessores dos anos 80. Desde que os registros foram iniciados, os competidores da lanchonete Nathan's "evoluíram" 700%.


Comer tanto em tão pouco tempo tem um custo, evidentemente. Ao contrário de atletas de elite que treinam e ficam cada vez mais em forma, os comedores de cachorros-quente podem ter problemas de saúde sérios.


Uma dilatação gástrica extremada pode prejudicar seriamente os músculos dos sistema digestivo, fazendo que percam sua capacidade de contração, conforme alerta Smoliga.


Reforçando o perigo, David Metz, professor de Medicina da Universidade de Pensilvânia, não envolvido no estudo, comentou no New York Times que os comedores competitivos podem acabar com um grande saco flácido no lugar do estômago.


Há ainda um problema de segurança mais imediato: o risco de engasgar com os cachorros-quentes no calor da competição. Pelo menos 7 pessoas já morreram axfixiadas depois de engasgar em competições desse tipo.


#Comida #EUA #FastFood #Fisiologia #HPU #JunkFood #Sanduíches