• Sandra Carvalho

Que tipo de pessoa estoca papel higiênico?

Psicólogos europeus tentam explicar esse fenômeno da pandemia de coronavírus.


Papel higiênico: mais medo, mais estoques | Imagem: Nori Blume

Quando a pandemia do novo coronavírus começou se espalhar pelo mundo, provocou em vários países uma corrida aos supermercados atrás de quantidades massivas de papel higiênico. Era o consumo impulsionado pelo pânico.


Tanta gente estocou papel higiênico que algumas empresas chegaram a aumentar 700% suas vendas. Psicólogos do Instituto Max Planck e da Universidade de Münster, na Alemanha, e da Universidade de St.Gallen (HSG) , na Suíça, ficaram intrigados com o fenômeno e decidiriam descobrir que personalidade tinham esses consumidores.


O estudo foi publicado no jornal PLOS ONE.


Eles fizeram uma pesquisa com 1.029 adultos de 35 países e viram que as pessoas que se sentiam mais ameaçadas pela pandemia tendiam a estocar mais rolos. Essa é a explicação principal das compras exageradas, segundo o estudo.


De acordo com os pesquisadores, as pessoas mais levadas pela emoção, com tendência a se preocupar e se sentir ansiosas, também se inclinavam por comprar mais papel higiênico.


Por fim, também levaram mais papel para casa pessoas mais conscienciosas, com traços de organização, diligência, prudência e perfeccionismo.


Os cientistas notaram ainda que as pessoas mais velhas estocaram mais que as novas e que os americanos compraram mais papel higiênico que os europeus.


O estudo não explica inteiramente a corrida pelo papel higiênico, conforme os próprios pesquisadores. Os fatores que eles levantaram dão conta de apenas 12% da variação de estoques de papel higiênico.


"Ainda estamos longe de entender o fenômeno de forma abrangente, disse Theo Toppe, o principal autor do estudo, num comunicado do Instituto Max Planck.


Veja mais: Meditação transcendental reduz o stress, mudando o cérebro


#Consumo #Coronavírus #HSG #InstitutoMaxPlanck #Psicologia #UniversidadedeMünster